Apesar de a vitamina C ter sido isolada apenas no início do século XX, há muito que a sabedoria popular recomendava citrinos para a cura da constipação.

Na verdade, de pouco valerá consumir este nutriente quer em alimentos quer em suplementos se os sintomas já estiverem instalados. Estudos recentes assim o demonstram, mas isso não significa que o também chamado ácido ascórbico seja um grande aliado do sistema imunitário, quando tomado continuamente, ajudando assim na prevenção de infeções.

Um dos nutrientes mais poderosos, é essencial ao colagénio, existindo em todas as células do corpo humano. Em contrapartida, e por ser hidrossolúvel, não é armazenada pelo organismo e acaba por se perder quando sujeita a alta temperatura e ao próprio ar. Daí a importância de ingerir os alimentos ricos nesta vitamina logo após a confeção.

É certo que laranjas e limões são as fontes mais conhecidas de vitamina C, mas sabia que existem alimentos que os batem aos pontos? São os casos do pimentão vermelho e verde, do kiwi, dos brócolos, dos morangos e da couve-flor, só para mencionar alguns.

Para além de amiga das defesas, esta super vitamina tem ainda efeito antioxidante, protegendo-nos dos radicais livres que agridem a pele, olhos, vias respiratórias e aparelho digestivo. Consumir alimentos ricos em vitamina C é também uma grande ajuda contra as doenças cardiovasculares e a arteriosclerose, uma vez que esta evita a oxidação do colesterol e o seu depósito nas paredes dos vasos.

E nem o stress escapa. Está provado que o ácido ascórbico é benéfico para o mecanismo de defesa do stress, auxiliando ainda no sono, controlo da dor e no bem-estar. Sabe-se também que este nutriente diminui o risco de alguns cancros, uma vez que impede a conversão dos nitratos provenientes do tabaco, carne e mesmo de vegetais em substâncias cancerígenas.