Secreção, irritação e congestão no nariz, dor de cabeça frontal e espirros frequentes são os principais sintomas da rinite alérgica, de uma infeção respiratória, mas também da rinite vasomotora, podendo, neste último caso, estar presentes todo o ano e intensificar-se com mudanças rápidas de temperatura.

Apesar desta semelhança, importa distinguir os dois tipos de rinite. A vasomotora nada tem que ver com uma reação alérgica, desconhecendo-se ainda as causas. Mesmo assim, os especialistas acreditam que a patologia surja devido ao excesso de vasos sanguíneos no nariz ou a hipersensibilidade. Ao dilatarem, esses vasos levam ao inchaço do revestimento da passagem nasal, o que pode ser provocado por uma qualquer condição física que irrite a mucosa do nariz. Da lista fazem parte, entre outros, a exposição a ar fresco, odores fortes, reação a alguns medicamentos, lesões no nariz, asma e até emoções fortes. Dado que as mulheres são as mais afetadas, suspeita-se ainda de uma influência hormonal no surgimento da doença.

Feito o diagnóstico através de exame da passagem nasal e despiste de alergia, o tratamento consiste na eliminação dos sintomas, uma vez que ainda não foi descoberta uma cura para a rinite vasomotora. Este passa pelo recurso a sprays nasais, destinados a diminuir o corrimento. Aqui encontramos três tipos: os corticoides no caso de a origem ser ambiental; os salinos que ajudam a limpar o nariz entupido e os anticolinérgicos que bloqueiam o efeito disfuncional do sistema nervoso autónomo.

O médico poderá ainda receitar anti-histamínicos orais para reduzir o inchaço do sistema respiratório bem como tratamentos caseiros como irrigação nasal e inalação de vapor ou óleo de eucalipto. É ainda importante manter a prática regular de atividade física e recorrer a um desumidificador para melhorar a qualidade do ar.

Em casos mais graves, quando os sintomas têm origem no bloqueio de um dos lados da cavidade nasal devido a desvio do septo, por exemplo, a medicação pode não surtir efeito, sendo necessário recorrer à cirurgia.