Os episódios de herpes labial são espoletados por diversos fatores, entre os quais a tensão emocional, o stress e o cansaço.

O stress, tanto físico como mental, influencia os mecanismos de inflamações e da imunidade, alterando a secreção de corticotropina pela hipófise e consequentemente os níveis de hormonas como a adrenalina e a noradrenalina. A distribuição dos linfócitos, células de defesa mais conhecidas como glóbulos brancos, é modificada e o vírus acaba por se replicar e reativar, dando origem aos sintomas.

É comum os indivíduos com herpes labial sofrerem de stress devido ao estigma que a doença ainda acarreta, o que acaba por ser um catalisador do próprio vírus. Cria-se assim um ciclo vicioso, que importa combater e que pode implicar mesmo apoio psicológico.

Há também de ter cuidado com a fadiga e com o stress que daí advém. Faça exercício com frequência, mas evite treinos muito puxados que excedam os seus limites. A falta de hábitos saudáveis de sono é outro dos fatores que afeta o sistema imunitário, deixando o indivíduo mais nervoso e suscetível a episódios de stress e logo de herpes labial.

As mulheres estão mais  sujeitas a sofrer crises de herpes labial por terem vidas mais stressantes. Sabe-se ainda que quanto mais duradouro o stress maior a probabilidade de crise.

Eis o que não deve fazer durante um episódio de herpes labial.