Um sistema imunitário saudável é fundamental para evitar e controlar as crises de herpes labial. E para o conseguir, nada como adotar uma dieta rica em determinados nutrientes que aumentam as defesas do organismo.

A consumir

Para além de inativar o vírus, a vitamina C fortalece ainda o sistema imunitário e ajuda a prevenir novos episódios da doença. As fontes mais conhecidas são os citrinos como a laranja e o limão, mas encontra este nutriente noutros alimentos como o kiwi, os brócolos ou a couve-flor.

Aminoácido essencial – não produzido pelo organismo – a lisina tem de ser consumida através dos alimentos. Do menu fazem parte, entre outros, o leite e derivados, o peixe, o feijão e os legumes em geral. Os seus benefícios incluem a redução da multiplicação do vírus e logo uma baixa na frequência e gravidade das feridas provocadas pelo herpes. Para além dos alimentos, a lisina pode ainda ser encontrada em forma de suplementos.

Presente em vários alimentos, como as leguminosas e os mariscos, este mineral desempenha um papel importante no que toca à imunidade e a cicatrização das feridas. Existem evidências de que os níveis de zinco baixam durante a fase mais grave da infeção, sobretudo na saliva, sendo assim recomendada a suplementação e a aplicação tópica de produtos que o contenham.

A evitar

Deve retirar da ementa todos aqueles alimentos que comprometam o sistema imunitário, ou pelo menos reduzir o seu consumo. No topo da lista estão os ricos em arginina, aminoácido que estimula a multiplicação do vírus e aumenta a frequência das crises. Aveia, gérmen de trigo, amendoins, castanhas e amêndoas são apenas alguns.

Café e alimentos ricos em açúcar ou farinha branca também devem ser evitados. Risque da dieta ou reduza a ingestão de chocolate, pães brancos, biscoitos, bolos e refrigerantes.

Alimentos ácidos e comidas muito condimentadas devem também ser postos de lado, sobretudo durante as crises, para não irritar as lesões nas áreas próximas da boca.