A depilação do buço é uma rotina de beleza que deve repensar se sofrer de herpes labial. O uso de cera ou creme será o mais aconselhado, mas não durante uma crise. Quando a lesão já estiver seca, é preciso também algum cuidado porque a pele fica especialmente sensível e pode manchar.

Tenha ainda em atenção a cera. Quando reutilizada pode transmitir várias condições, como micoses, foliculite (inflamação no local onde nasce o pelo) e ainda transmitir o herpes labial. Certifique-se que o produto, se não usado de raiz, é aquecido a mais de 100ºC de modo a matar vírus e bactérias. A espátula pode também ser fonte de transmissão, devendo ser higienizada e esterilizada a cada nova utilização.

Caso prefira o laser, não recorra ao tratamento antes de consultar o dermatologista, sobretudo se os episódios forem recorrentes. Esta forma de se livrar dos pelos está absolutamente desaconselhada durante o período ativo das lesões.

Se a depilação é algo a evitar durante uma crise de herpes labial, o mesmo não se passa com o uso do batom. Mas claro que são também necessários alguns cuidados. Junte os pensos transparentes ao seu antiviral e aplique sobre a pele limpa e seca, sem quaisquer resíduos de creme. Estes auxiliares duram cerca de doze horas, mas convém evitar humedecê-los.

Pode então maquilhar os lábios, sendo as cores escuras e o mate (sem brilhos) as opções indicadas para disfarçar o penso e o inchaço e garantir que as texturas não se notam. Opte por um batom de longa duração com poucos emolientes que se consiga agarrar ao penso e não escorra durante o dia.

Lembre-se que para além de ajudarem aos rituais de beleza, estes pensos criam uma barreira que previne a infeção e a propagação do vírus a outras zonas, mantendo a humidade da pele e as condições ideais para uma mais rápida cicatrização.