Os especialistas dividem-se quanto à primeira ida ao dentista. No entanto, a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) recomenda que esta deve acontecer quando nascem os dentes de leite ou, no limite, até ao primeiro ano de idade.

Quanto mais cedo estabelecer um programa de saúde oral preventivo para a criança melhor. O profissional de saúde irá analisar o estado da dentição e aconselhá-lo-á quanto aos hábitos a incluir e a riscar da rotina do seu filho.

Quanto à periodicidade das consultas a OMD aconselha uma observação semestral, isto se não existirem problemas, com destaque para o elevado risco de cárie que obrigará a um intervalo de três meses. Deve ainda levar a criança ao dentista se notar sangramento gengival, algum dente escuro e podre ou partido ou se, no caso dos bebés, este chorar quando come ou lava os dentes.

 O medo da cadeira do dentista

Se a maioria dos adultos teme a ida ao dentista imagine o que pode passar pela cabeça dos mais pequenos. Mesmo que trema e tenha suores frios só de pensar na consulta faça os possíveis para não transmitir esse temor ao seu filho. Evite palavras negativas como dor, medo ou agulha e passe sim uma imagem otimista da ida ao dentista, falando desta como uma nova experiência benéfica e até divertida.

Todo o cuidado é pouco na escolha do especialista. O seu dentista pode ser ótimo, mas poderá não ser o indicado para crianças. Opte por alguém vocacionado para o tratamento dos mais novos, nomeadamente um odontopediatra. É importante que se estabeleça  empatia entre o profissional e a criança, para que esta se sinta segura, sem receio e siga os conselhos médicos.

Muitos consultórios dispõem já de brinquedos e jogos para distrair os pacientes mais jovens mas, e apesar de ser um fator a ter em conta, pense sempre primeiro na relação a estabelecer entre o dentista e a criança.

No caso dos bebés, a presença da mãe ou do pai é fundamental para transmitir segurança, mas em crianças mais velhas esta pode ser prejudicial por funcionar como uma distração tanto para o dentista como para o paciente.

A higiene oral infantil não termina no final da consulta. Tenha em atenção que a escovagem dos dentes deve ser encarada como uma brincadeira sobretudo em crianças mais  pequenas e, ainda, uma alimentação saudável rica em frutas e legumes, sem excesso de açúcar.

créditos da imagem - olesiabilkei/depositphotos.com