Mesmo pessoas com uma boa saúde oral podem sofrer de retração gengival, que nada mais é do que o seu deslocamento e consequente exposição da raiz do dente.

As causas desta condição são diversas, com destaque para a fricção exagerada com uma escova dura, a inflamação da gengiva devida à presença de placa bacteriana e a pouca espessura do osso que recobre a raiz do dente. À lista junta-se ainda o trauma oclusal devido ao mau posicionamento dos dentes ou como consequência de implantes dentários, branqueamentos ou aparelhos. O tabagismo e o bruxismo são outras causas a ter em conta.

As consequências da retração gengival são também várias e não incluem apenas o fator estético. A exposição da raiz faz com que a camada que a reveste desapareça, expondo a dentina e provocando a sensibilidade dentária. Outros problemas associados passam pela dificuldade em remover a placa bacteriana, à propensão à cárie e a inflamações. Mas o maior risco é mesmo a perda de dentes, se a condição não for atacada a tempo.

A prevenção é fundamental e inclui os comuns hábitos de higiene oral, como uma escovagem adequada, dizer não ao tabaco e a consulta frequente ao dentista. Já o tratamento, esse passa pela remoção de possíveis excessos de materiais restauradores, correção do posicionamento do dente com aparelho ortodôntico. Para a gengiva já exposta, será necessária intervenção cirúrgica, na qual é feita a extração de um pedaço desta.

créditos da imagem: Xalanx/depositphotos.com