Chegado o tempo quente, nada como saborear uma sobremesa gelada. Difícil é resistir aos gelados de água à base de fruta, mais amigos da dieta; ou mesmo esquecer as calorias e comer um sorvete de chocolate.

O frio agressor

Por muito deliciosos que sejam, os gelados, sorvetes e granizados são também grandes potenciadores da sensibilidade dentária. Muitos de nós já tivemos de deixá-los a meio por sentirmos aquela pontada breve mas aguda. Isto sucede quando a dentina está exposta, tornando os nervos mais facilmente ativados por estímulos como é o caso do frio.

A sensibilidade dentária é causada pelo desgaste do esmalte, que vê assim a sua função protetora ameaçada. E nada como o açúcar para estimular os nervos e favorecer esse mesmo desgaste. Logo, pense duas vezes antes de escolher aquele gelado bem doce. Se não resistir, prefira os baixos em teor de açúcar ou mesmo sem açúcar que já existem à venda nos supermercados e geladarias.

Dos males o menor

E que tipo de sobremesa escolher para minimizar o risco de uma crise de sensibilidade dentária? Desde logo, muita atenção aos cristais de gelo que se formam nos gelados. Esqueça os gelados de água, sobretudo se tiver o hábito de os trincar. Esta é outra forma de arruinar o esmalte dos seus dentes. Prefira os cremosos ou os semifrios.

Se o açúcar presente em sabores como o chocolate ou a baunilha é algo a evitar, o mesmo sucede com os ácidos se tiver propensão a sensibilidade dentária. Falamos, por exemplo, dos cítricos como a laranja, o limão ou a tangerina, também eles aceleradores da desmineralização do esmalte dos dentes. Que tal experimentar a banana ou o coco?