As doenças das gengivas não afetam apenas a boca e os dentes, podendo ter mesmo problemas cardiovasculares graves, como enfartes do miocárdio.

Mas como sucede esta relação, à primeira vista, estranha? É preciso, desde logo, entender que o aparelho digestivo é colonizado por uma grande variedade de bactérias, que aderem às células, mas que acabam por ser eliminadas com as fezes. A boca é, todavia, a exceção, já que os dentes são uma estrutura mineral não renovável, não descamam como acontece com as células, permitindo assim a acumulação das bactérias e a formação da placa bacteriana, que provoca as doenças gengivais.

Esta mesma placa, quando no sulco gengival, entra em contacto com os tecidos gengivais, causando a sua inflamação e podendo entrar na corrente sanguínea. Surge então a bacteriemia ou envenenamento do sangue, que pode afetar órgãos distantes da boca, como o coração, uma vez que ataca os depósitos de gordura dos vasos deste, fazendo com que o sangue coagule e conduzindo ao problema cardíaco.

É, pois, fundamental manter uma higiene oral regrada e consultar regularmente o médico dentista, que deverá ser informado de alguma condição cardíaca de que sofra e história familiar.