O tempo quente que se aproxima convida a uma ida à praia ou à piscina. Nada como um mergulho para refrescar, mas sabia que umas braçadas podem ajudar ao tratamento de doenças respiratórias, como é o caso da asma? E que muitos atletas de alta competição começaram a nadar apenas por uma questão de saúde?

Os benefícios da natação

O ato de nadar alonga toda a musculatura intercostal, abrindo e fechando as costelas. Isto facilita a musculatura inspiratória e expiratória, por outras palavras enche os pulmões na inspiração e esvazia-os na expiração. As braçadas, coordenadas com o respirar, movimentam a caixa toráxica e trabalham ainda a musculatura do abdómen, favorecendo a respiração diafragmática.

Quem nada habitualmente sabe bem que a água oferece resistência. Esta exigência faz com que a respiração se torne mais forte e naturalmente mais ampla. Já a musculatura envolvida aumenta o trabalho pulmonar e a capacidade cardiorespiratória.

A natação ajuda ainda quem sofre de condições nasais, uma vez que a água mantém as narinas húmidas. A secura, normalmente sintoma de asma e alergias, é assim eliminada.

O cloro das piscinas

Se sofre de doenças respiratórias e pensa escolher a piscina como local de prática de natação, é importante ter atenção à quantidade de cloro usada no tratamento da água. Para além de poder irritar pele e olhos, esta substância pode, segundo indicam alguns estudos, contribuir para o agravamento de crises respiratórias. Evite, pois, piscinas sem um controlo adequado, que apresentem níveis elevados de cloro tanto na água como no ar.