O aumento das mucosidades nasais e da expetoração faz com que o bebé perca mais líquidos do que é normal. Logo, há que repô-los, e também para tornar os fluidos mais fáceis de expelir.

Se a criança está a ser alimentada apenas a leite materno, poderá não ser necessário dar-lhe mais água, uma vez que este contém toda aquela que ela necessita. Pode, porém, fazê-lo, em caso de vómitos persistentes.

Mas se o bebé tomar fórmula infantil, a ingestão extra de água é obrigatória, uma vez que este substituto do leite materno é mais concentrado. A mesma regra se aplica se a criança já iniciou uma dieta diversificada.

Água acima de tudo

É importante que o bebé beba água sem ser forçado. Pode não ser fácil de início, mas é algo que pode ir treinando, e que poderá pois ser de grande ajuda em caso de congestão nasal. Deixe chá, sumos e bebidas doces para mais tarde, pois poderá estar apenas a dificultar a habituação ao gosto da água.

Para além de uma maior ingestão de água, lembre-se que a saúde nasal do seu bebé pode ser reforçada graças à lavagem diária com uma solução à base de água do mar. Em caso de constipação, recorra ao aspirador nasal, mas só a partir do segundo trimestre.