Escondem-se sob a areia e fazem parte do grupo de banhistas com que não vai querer partilhar o seu dia de praia. Falamos dos peixes-aranha, animal com cerca de quinze centímetros de comprimento, cuja grande ameaça reside na barbatana negra junto à cabeça com três espinhos venenosos.

Em Portugal, encontram-se sobretudo nas praias do sul. Logo, se vai para estas paragens, mantenha os olhos bem abertos quando passear à beira-mar ou durante os mergulhos e, de preferência use sandálias plásticas.

Primeiros socorros

Mas que fazer quando já não vai a tempo de evitar a picada? Prepare-se, desde logo, para uma dor nada simpática, que pode durar até 24 horas. Quanto a primeiros socorros, eis os passos a dar:

  • Esprema a zona atingida o máximo que puder até sair sangue.
  • Aplique algo quente, já que a toxina libertada pelo peixe se decompõe com o calor. Mergulhe a zona afetada em água tão quente quanto aguentar durante cerca de meia hora, mas com cuidado para não provocar queimadura.
  • Se não conseguir seguir o passo anterior, improvise aproximando um cigarro à menor distância possível.
  • Aconselha-se ainda uma caminhada com pressão sobre a zona picada na areia quente.
  • Estes procedimentos devem ocorrer nos primeiros trinta minutos após a picada. Se não o fizer ou os sintomas se mantiverem, recorra a um serviço de saúde.
  • Embora raro, é possível que fique um resto do espinho na ferida, que deve ser retirado, abrindo a ferida. Na maioria dos casos, bastará lavar e desinfetar a ferida.
  • Não hesite em consultar um médico se sentir sintomas como tonturas e sensação de desmaio, vertigens, náuseas, febre, vómitos, dor de cabeça, cãibras generalizadas, convulsões, dificuldade em respirar e alteração da coloração e temperatura da zona atingida.
  • Esqueça as mezinhas. Da lista faz parte o cloreto de etilo, o chamado “spray milagroso”. É certo que vai acalmar as dores, uma vez que mantém o veneno no local da picada. Mas quando o efeito passa, a toxina fluirá rapidamente e a dor alastrará. O mesmo sucede com o vinagre.

Saiba ainda o que fazer em caso de picada de insetos