A causa precisa da dermatite atópica é ainda desconhecida, pensando-se porém que na sua origem poderão estar mecanismos imunológicos comuns a doenças como a asma, a bronquite e a rinite e ainda um forte componente hereditário.

Prurido cutâneo recorrente e lesões são os principais sintomas, que se manifestam de diversas formas conforme a idade. Nos bebés, a dermatite pode atingir todo o corpo, enquanto que as crianças veem afetados sobretudo os membros. Já nos adultos, a doença atinge preferencialmente mãos e pés e região cervical.

Não existe ainda uma cura e o próprio diagnóstico está longe de ser fácil, podendo implicar várias visitas ao médico para análise das características das lesões e tomando em consideração a existência de alergias em outros membros da família.

Apesar destes senãos, é possível prevenir e combater a dermatite atópica. Fique, pois, a conhecer alguns cuidados quotidianos.

  • Evite o contacto com substâncias que causem irritação cutânea.
  • Tome banhos rápidos e com água morna para evitar a pele seca. Não abuse dos sabonetes, seque-se com movimentos suaves e aplique um hidratante neutro logo após o banho, antes que a água na pele se evapore.
  • Vaselina e óleo vegetal são aliados para manter a pele macia e hidratada.
  • Mantenha as unhas curtas de modo a minimizar os danos causados pela coceira e a probabilidade de infeção.
  • Tome banho logo depois da prática desportiva. O suor é um dos fatores agravantes da dermatite atópica.
  • Use vestuário e roupa de cama de fibras naturais, como o algodão. Estas devem ser bem enxaguadas para remover possíveis restos de detergente, que agravam a doença.
  • Prefira calçado de couro e meias de algodão, que permitam um bom arejamento.
  • Areje bem os quartos e evite aquecedores. O calor excessivo e mudanças bruscas de temperatura são catalisadores da dermatite atópica.
  • Os ácaros presentes no pó agravam a doença. Retiretapetes, alcatifas, peluches e outros objetos que retenham poeira dos quartos.
  • O tratamento da dermatite atópica pode implicar, em caso de infeção, o recurso a antibióticos orais. Tome-os apenas mediante conselho médico. A mesma regra se aplica aos cremes como corticosteroides e aos anti-histamínicos indicados para suavizar as lesões e controlar o prurido.

créditos da imagem: valuavitaly/depositphotos.com