Cerca de 10 por cento da população mundial sofre de dermatite atópica. Mais frequente entre as crianças, esta doença cutânea atinge 10 a 20 por cento dos mais jovens, ficando entre os 2 e os 5 por cento na faixa etária adulta.

O que é a dermatite atópica?

Também conhecida como eczema atópico, esta doença inflamatória manifesta-se por secura muito acentuada da pele do rosto e do corpo e irritação.

Os sintomas podem variar de indivíduo para indivíduo, de época para época e mesmo de dia para dia. Mas, de forma geral, a dermatite atópica divide-se em duas fases: as inativas e as ativas. Durante estas últimas, ocorre comichão intensa e a pele torna-se vermelha escura, escamada, inchada e até sangrenta. Já nos períodos inativos, os sintomas incluem pele muito seca e um pouco escamada e irritada, podendo surgir na área atingida feridas cicatrizadas.

Bebés e crianças pequenas

A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, surge sobretudo nos primeiros tempos de vida. Estima-se que 90 por cento dos pacientes apresentem sintomas antes dos cinco anos e 80 por cento antes dos dois.

Nos bebés e crianças pequenas, a doença atinge mais o rosto, espalhando-se depois pelo corpo com o passar dos anos.

Consequências

O eczema atópico, sobretudo o que atinge o rosto, pode afetar a vida quotidiana dos pacientes e limitar as suas atividades, condicionando o que vestem e mesmo a alimentação.

Os pacientes sentem-se menos atraentes, acabando alguns deles por sofrer falta de sono, discriminação, stress e falta de auto-confiança.