Qualquer que seja a origem da reação alérgica, na maioria dos casos, basta tomar algumas precauções para poder conviver com animais a que seja alérgico.

• Mantenha o animal afastado das zonas comuns da casa, de preferência num espaço exterior e na ausência deste limite-o a uma área onde possa andar livremente.

• Tenha especial atenção à zona onde passa mais tempo. Evite tapetes ou outros elementos que acumulem pelos e aspire-a todos os dias, se possível com um aspirador capaz de reter as partículas mais finas.

• Dê banho semanalmente, de modo a reduzir a quantidade de pelos e de pele que este deixa no ambiente.

• Mime o seu amigo fiel com uma cama e habitue-o a dormir nela, para se concentrar aí grande parte dos pelos e células mortas. Aproveite o dia do banho para lavar também a cama.

• Lave as mãos depois de mexer no seu animal de estimação e evite encostar-se para não ficar com pelos na roupa.

• Consulte o veterinário e peça-lhe conselhos sobre suplementos vitamínicos indicados para o pelo, que diminuem a sua queda.

• Não deixe de falar com o seu imunoalergologista antes de levar um animal para casa. Ele irá ajudar na redução dos sintomas ou, na pior das hipóteses, desaconselhar a convivência.

• No caso dos gatos, e havendo um membro da família com rinite alérgica ou asma é mesmo fundamental o teste para saber se é alérgico aos felinos, uma vez que vários estudos apontam uma forte relação entre estes e as crises asmáticas.

Saiba mais sobre alergia a animais